Alergo Blog

A verdade sobre alergias respiratórias

A verdade sobre alergias respiratórias

 Nunca tivemos tanta informação à nossa disposição, mesmo assim, algumas crendices ainda povoam a cabeça das pessoas. Quando o assunto é saúde, então, as teorias ficam ainda mais diversas, podendo causar muita confusão.
     No caso das alergias respiratórias, por exemplo, é muito comum misturar sintomas e tratamentos de rinite, asma e bronquite, além de outros mal-entendidos. Abaixo, listamos alguns mitos e verdades recorrentes sobre alergias respiratórias:
 
*O frio piora as crises
Não exatamente. As baixas temperaturas não afetam diretamente os quadros alérgicos, mas trazem uma série de condições que os agravam. O inverno brasileiro costuma ser seco em boa parte do país. Com a baixa umidade, as mucosas ficam menos hidratadas e as partículas de poeira ficam mais tempo no ar. Além disso, nesta estação ficamos mais tempo em ambientes fechados e tiramos do armário cobertores e roupas que, por estarem guardadas há muito tempo, estão cheios de ácaros.
 
*Produtos com fragrâncias provocam alergias
Verdade. Algumas pessoas são sensíveis a fragrâncias, substâncias bem comuns em cosméticos que podem agravar alergias respiratórias. Além de irritar as vias aéreas, esses ativos podem causar alergias na pele. Na dúvida, é melhor evitar produtos com perfumes intensos.
 
*Cigarro não influencia em quadros alérgicos
Mentira. O cigarro é um dos principais agentes da bronquite crônica. Não à toa, a doença também é conhecida como “tosse dos fumantes”. A fumaça também prejudica quem sofre de rinite e de asma.
 
*Só remédios podem controlar a rinite
Mentira. Uma das maneiras mais eficientes de controlar a rinite é promovendo a higiene ambiental, isto é: mantendo a casa limpa e livre dos alérgenos que existem na poeira doméstica.
 
*Antialérgico dá sono
Mentira. Esse era um efeito colateral da primeira geração de remédios antialérgicos. Atualmente já existem produtos no mercado livres da sonolência

Comentários